HAMLET OU MORTE! : SALVANDO-SE COM SHAKESPEARE

FOTO BY TÁSSIA LOPES


Diversos são os códigos teatrais adotados pela jovem e talentosa cia Os Trágicos em seu primeiro espetáculo profissional , depois de muitas travessias experimentais pelos espaços urbanos.

No entusiasmo da ideia inicial , ainda em tempos de formação acadêmica , de transposição do “pocket theater” do inglês Tom Stoppard- “Hamlet em 15 Minutos”, os cinco atores(Diogo Fujimura, Gabriel Canella, Mathias Wunder,Pedro Sarmento, Yuri Ribeiro) , optaram por uma criação coletiva, com orientação textual e seguro comando cênico de Adriana Maia.

Surgiu, assim, HAMLET OU MORTE !, que ultrapassa o limite horário do dramaturgo inglês com a introdução de um longo preambulo autoral , transformando a proposta num espetáculo único , em original fusão e dinâmica artesania teatral.

A trama dramatúrgica se desenvolve ,assim, em duas dimensões, de um texto secundário a um texto principal. Partindo da prisão do grupo de vagabundos trapalhões, acusados de infringências sociais, entre roubos e dolos, e que para escaparem de uma condenação capital, buscam a salvação numa representação de Hamlet para a rainha.

Em sua concepção cenográfica minimalista com incidentais objetos e despojados figurinos (Adriano Ferreira), que funcionam bem como disfarces e travestimentos referenciais da época elisabetana, a montagem tem ainda um score musical de improvisos, ora num teclado, ora a capella em fanfarras labiais dos próprios atores.

Com suas peripécias cômicas e expressiva gestualidade num permanente clima de sátira, paródia e inteligente humor, o elenco alcança, em sua perceptível espontaneidade criativa , o equilíbrio ideal entre o caráter meramente lúdico e a entrega artística.

É este duelo virtuosístico, em que cada um deles revela uma personalista e singular performance no ato de assumir duplos personagens deste jogo do teatro dentro do teatro, que torna intenso e envolvente o dialogo com cada espectador.

E impulsiona, enfim,juntos cena e plateia, na sua risível adesão a esta “trágica comédia”, o pensar reflexivo do próprio Shakespeare de que “o mundo todo é um palco e todos os homens e mulheres não passam de atores”.

                                  Wagner Corrêa de Araújo




HAMLET OU MORTE , em nova temporada, no Teatro Net /Rio(Sala Paulo Pontes), sexta e sábado, às 19h;segunda ,às 16 e às 19h; terça, às 11 e às 14;domingo, às 20h. 85 minutos. Até 19 de setembro.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas