12º PRÊMIO APTR : EM ANO DE RESISTÊNCIA, ENTRE SURPRESAS, OS VENCEDORES


SUASSUNA - AUTO DO REINO DO SOL


Aconteceu, finalmente, na última referente a 2017 entre as mais tradicionais e disputadas premiações do teatro carioca, a da APTR ( Associação dos Produtores de Teatro do Rio) que, ao lado do Shell, do Cesgranrio e do Botequim Cultural, tornou-se um dos mais disputados troféus concedidos às melhores peças do ano.

Em tempos de crise e de resistência que suspenderam, temporariamente, a entrega simultânea de dinheiro e troféus houve, no Teatro Net Rio, a cerimônia de premiação, desta vez apresentada pelos atores Renata Sorrah e Jonathan Azevedo.

E intermediada, para entrega dos prêmios de cada categoria, por representantes de grupos teatrais cariocas,   ora do circuito zona sul ora de comunidades e periferias, em democrática atitude assumida por seus organizadores.

Ampliada na sua homenagem especial tendo como tributo o meritório trabalho de formação teatral, com diversidade geracional, que vem sendo desenvolvido por Amir Haddad frente ao grupo Tá Na Rua, além de seu papel desempenhado há gerações com e a favor do teatro brasileiro.

Dando continuidade à tendência observada nas premiações já acontecidas deste ano, novamente os campeões foram o musical Suassuna – O Auto do Reino do Sol, além de Agosto e Tom na Fazenda. Mas, o que é normal em qualquer certame, com certa divergência na aceitação de algumas surpresas na seleção final.

TOM NA FAZENDA

Em ano obscuro politicamente e sob as ameaças não só da crise econômica, com seus radicalizados cortes de patrocínios e editais de cultura, como dos riscos de volta a medievas posturas morais/censórias, não faltaram oportunas  referências a estes fatos pelos artistas premiados.

A comissão julgadora, paralela ao colegiado da APTR com decisão exclusiva das indicações de produção, foi integrada por Beatriz Radunsky, Daniel Schenker, Lionel Fischer, Luiz Felipe Reis, Macksen Luis, Maria Siman, Rafael Teixeira, Rodrigo Fonseca, Tânia Brandão e Wagner Corrêa de Araújo. Com o seguinte resultado:

Produção – Morente Forte (Um Bonde chamado Desejo)
EspetáculoTom na Fazenda
Direção – José Roberto Jardim (Adeus, Palhaços Mortos)
Ator – Ary Fontoura (Num Lago Dourado)
Atriz – Guida Vianna (Agosto)
Atriz Coadjuvante – Leticia Isnard (Agosto) e Lisa Eiras (Hamlet)
Ator Coadjuvante – Claudio Mendes (Agosto) e Fábio Enriquez (Suassuna – O Auto do Reino do Sol)
Autor – Bráulio Tavares (Suassuna – O Auto do Reino do Sol)
Cenografia – Carla Berri e Paulo de Moraes (Hamlet)
Figurino – Kika Lopes e Heloisa Stockler (Suassuna – O Auto do Reino do Sol)
Iluminação – Adriana Ortiz (Monólogo Público) e Paulo Cesar Medeiros (O Jornal)
Música – Alfredo Del Penho, Beto Lemos e Chico Cesar (Suassuna – O Auto do Reino do Sol) e João Callado (Zeca Pagodinho – Uma História de Amor ao Samba)
Especial – Veríssimo Junior (pelo trabalho no Teatro da Laje)

                                                ( Wagner Corrêa de Araújo )


Postar um comentário

Postagens mais visitadas