SAUDADE DE MIM: SOB LUZES E SOMBRAS

FOTOS/PAULA KOSSATZ



Quando o compositor francês Darius Milhaud , em sua passagem pelo Rio , deixou como um dos legados a suíte de danças para piano ,entre o tango e o samba, Saudades do Brasil (1920), sua evocação de paisagens cariocas era carregada de lírica nostalgia .

Este não é o retrato da natureza em Portinari , com sua secura de corte de lamina, e não existe quietude no operário de Chico Buarque, atropelado na contramão e atrapalhando o transito.

E é destas ultimas imagens que Alex Neoral, à frente da Focus Cia de Dança, resgata a proposta cênico/gestual de sua  concepção coreográfica – Saudade de Mim.

Aqui retirantes e operários esquecem suas carências materiais e amorosas nos botequins e folguedos populares , enquanto esquálidos corpos ganham sua única e definitiva morada, sob sete palmos de terra.


Seus bailarinos expressam um mundo de sombras, em posturas cotidianas carregadas de significados internos. Em emotivos duos e solos revelam teatralmente as experiências humanas, ora das misérias da seca e da fome, ora dos amores fraturados ou dos que partem sem volta. Ou celebram coletivamente a alegria da luz, em tempo de quadrilha e forrós.

Corpos contorcidos em movimentos inclinados trazem referencias das técnicas de respiração de Martha Graham, refletidas em rostos sofridos como máscaras teatrais, em apurada construção cênica.

Com um elenco convicto favorecendo o clima de representação e que materializa, em sua gestualidade e na entrega às suas caracterizações,o dimensionamento estético/psicológico da proposta coreográfica. Com a participação, além de seu diretor/criador Alex Neoral, de Carol Pires, Cosme Gregory, José Villaça,Gabriela Leite,Márcio Jahú,Mônica Burity e Sheila Lokiec.

De figurinos (André Vital) e ambientação cenográfica( Márcio Jahu) acertados, medida por medida, na configuração do universo pictórico de Portinari, sob gradativas nuances - claro/escuro - da iluminação de Binho Schaeffer.

Destaque ainda para o score musical ( Felipe Habib), se equilibrando da pura sonoridade vocal da obra de Chico Buarque à envolvência de arranjos camerísticos, com sotaque contemporâneo.

Enfim, uma arquitetada interação artística de movimentos, cores e sons, entre o realismo e a abstração que , dançando a vida e a morte ,faz da retomada de Saudade de Mim uma das raras, mas preciosas,  performances  deste início , em tempo de crise, da temporada de dança 2017.

                                      Wagner Corrêa de Araújo



SAUDADE DE MIM / FOCUS CIA DE DANÇA está em cartaz no Espaço Cultural da Caixa/Centro do Rio, de quinta a domingo, às 19h. 80 minutos.  Até 30 de abril.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas