ESSE VAZIO : ENTRE TRÊS AMIGOS E UM FUNERAL




FOTOS/DANIEL MORAGAS DA COSTA 


No dicionário espanhol, un hueco tem vários significados , mas sempre partindo de uma sensação de vazio , de falta, de carência, que existe tanto em espaços físicos limitados tais como orifícios, brechas, fissuras, ou, ainda,  nas  breves vacuidades de momentos cotidianos .

Quando o dramaturgo argentino Juan Pablo Gómez idealizou sua peça Esse Vazio ( Un Hueco) partiu deste conceitual ao fazer um retrato da afetividade masculina à beira da ausência pela perda , no funeral de um  amigo inseparável.

Ampliando este pequeno mundo nas transmutações cronológicas do tempo existencial, pelo olhar da amizade num ambiente provinciano dos chamados clubes populares do interior ou dos subúrbios argentinos.

Mas,  a partir deste  microcosmo comportamental  do povo platino, constrói um retrato sem retoques do que é o pensar, o agir e os sonhos de um geração assombrada diante das frustrações de um futuro sem perspectivas.

Onde as lembranças dos footings monótonos pelas calles, as bebedeiras ou as idas semanais aos clubes esportivos ou de dança, para exibições atléticas e atos de galanteria feminina, tornam opressiva  a circularidade das vidas destes amigos de infância.

Diante da súbita morte de um deles, o escape da adversidade factual é  pelo olvido, através das  felizes memórias de tempos idos ou ainda próximos. Assim, formalmente vestidos para um funeral, vão se decompondo deste ritualismo  em manifestações emocionais de livre verbalização e ingênuo humor .

Que, aos poucos, revelam desafetos e sensações de culpa capazes de conduzir a agressões físicas e lágrimas convulsivas, psicologicamente ampliadas na exígua , fria e despojada ambientação de um vestiário masculino ao lado do salão de festas do clube, onde acontece o velório de Matias.

A eficiente reconstituição cênica realista (Cláudio Bittencourt), incluídos os figurinos solenes (Victor Guedes), é ampliada pelas modulações  focais do desenho de luz (Tomás Ribas) . O que aproxima a ação da plateia, como se esta fosse  parte  do cerimonial fúnebre, observada do outro lado da porta pelos três amigos /personagens.

Perdendo significativa parte da força  interativa , pelo não uso  de um vestiário real de clube(sugerido e  utilizado nas montagens originais). Mas,  aos poucos, na habitual pesquisa corporal e interpretativa do firme comando cênico de Sergio Módena, alcançando a ressonância pretendida.

Em que se destacam a rigidez fóbica  e os complexos não assumidos de Hugo (Gustavo Falcão),a transmutação psicológica entre sarcásticos meios tons de Max (Daniel  Dias da Silva) e o domínio emotivo da fisicalidade entre muletas de Lucas((Sávio Moll).

Tudo, enfim, com  consistente  rendimento criativo,   instaurando, na sua   teatralidade de sutilezas e filigranas,  a possibilidade de conhecer mais uma original incursão da nova dramaturgia latino/americana.




ESSE VAZIO está em cartaz no Teatro Gláucio Gil, Copacabana, de sexta a segunda, às 20h. 60 minutos. Até 13 de Junho.
NOVA TEMPORADA: Teatro Serrador, Cinelândia, terças e quartas, às 19h30m.Até 27 de julho.



Postar um comentário

Postagens mais visitadas