MENINO MALUQUINHO :TRAVESSURAS OPERÍSTICAS


FOTOS BY RENATO MANGOLIN
A criação operística voltada exclusivamente para crianças tem um exemplo clássico em Hänsel e Gretel (1893), de E. Humperdinck, inspirando-se no célebre conto dos Irmãos Grimm.

No Brasil, houve  incursões singulares, como as de Villa Lobos com “A Menina das Nuvens” , a partir de um argumento de Lúcia Benedetti e Francisco Mignone com ”Godó ,O Bobo Alegre”, texto de  Pedro Bloch.

Além da ópera   O Menino Maluquinho ,composição de Ernani Aguiar, com libreto de Maria Gessy de Salles e do autor do livro, Ziraldo que, só agora,  volta à cena, depois de sua estreia em Juiz de Fora(2003).

Na presente concepção, dentro da Temporada Oficial do Theatro Municipal, a regência da Orquestra Sinfônica da UFRJ, é de Roberto Duarte e a direção teatral é de Sura Berditchevsky. Tendo , ainda, a Associação de Canto Coral e o Coral Infantil da UFRJ, respectivamente sob seus regentes titulares, Jésus Figueiredo e Maria José Chevitarese.

Com sua marca simbológica de uma panela servindo de chapéu, o personagem protagonista vive um mundo de traquinagens, na ambiência doméstica e escolar, nas brincadeiras, no futebol, nos sonhos e  nos ingênuos flertes amorosos, até se descobrir crescido .

Numa conjunção perfeita da trama dramatúrgica, sustentada pela maestria de um libreto de poética ironia(Maria Gessy) , longe da previsível puerilidade do tema,  com uma sensível  partitura (Ernani Aguiar). De harmonias tonais e acordes melodiosos, acentuados pela segurança da conduta orquestral de Roberto Duarte.

Ao lado do componente emotivo, realidade e memória, sugestionado pela invenção cênica( Daniela Thomas/Camila Schmidt),pela adequação da gestualidade(Renato Vieira), pelo desenho dos figurinos(Pedro Sayad) e luzes ( Jorginho de Carvalho).  

A reveladora espontaneidade interpretativa e afinação vocal do já experiente  Tiê Kuhl( Menino Maluquinho), não desmerece a convincente  atuação de seus sopraninos coadjuvantes, nos personagens Bocão(Paulo Vinicius Pantaleão) e Julieta(Isabele Lopes ).

Incluindo ,é claro, as vozes  de um coeso elenco de cantores já profissionalizados(Guilherme Moreira,Vivian Delfini,Lily Driaze, Fabrício Claussen, Geilson Santos, Luisa Suarez,Mariana Gomes,Beatriz Simões) . Com destaque,   para as nuances líricas da soprano Flávia Fernandes(Mãe) e o alcance e clareza vocal do barítono Marcelo Coutinho , especialmente nas árias do Tempo.

O tato  de uma perfeccionista  em teatro infantil ( Sura Berditchewsky) sintetiza, em tons precisos, os caracteres psicológicos e comportamentais da autentica dramatização de  cenas da infância. 

Memorização, sutilezas motoras e linguísticas, socialização e muita criatividade, num espetáculo para todos os gostos e idades.


MENINO MALUQUINHO A ÓPERA está em cartaz no Theatro Municipal, RJ, quinta e sexta,20h;sábado,17h;domingo,11h30m e 17h. Até 13 de dezembro.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas