MIMULUS : MEMORIAL COREOGRÁFICO

FOTOS/ GUTO MUNIZ

Desde os anos noventa, a Mimulus Cia de Dança vem priorizando uma proposta singular de retomada do tradicional repertório das danças de salão  mas sempre com o olhar armado na contemporaneidade.

Em seu lastro original da mineiridade,  também como o Grupo Corpo, a sua base de apoio é  Belo Horizonte, de onde vem irradiando seu ideal coreográfico de redescoberta inventiva de uma  dança popular de raízes brasileiras.

Na sua  mais recente criação - Pretérito Imperfeito - a Cia faz uma espécie de inventário estético de sua trajetória num mergulho memorialístico. Uma prestação de contas sobre seu acervo artístico num elo especular  ,entre pesos e medidas, sobre os resultados desta  sua verve investigativa.

O espetáculo é marcado, inicialmente,  por signos indicadores da passagem das horas – metrônomos, ampulhetas,  relógios,  álbuns de retratos ou janelas abertas a uma paisagem de recordações - sutis mas pesarosos desnudadores desta fugaz temporalidade do “Pretérito Imperfeito” de todos nós.

Ratificado, metaforicamente,  por uma trilha musical centenária que inclui, entre outros, Ernesto Nazareth, Pixinguinha, Ary Barroso, Alberto Nepomuceno, Villa-Lobos,  contrapondo, em inspirados arranjos camerísticos, o popular e o clássico,  a ancestralidade e os novos valores.

Esta reidentificação com a lembrança e a memória refaz as trilhas percorridas, num nostálgico  mas lúdico conluio entre o ontem e o hoje, entre os bailarinos  e o público, no registro de recados em papeis fragmentados e que, unidos plasticamente, compõe um sensorial mural cenográfico.

Num recorte das danças urbanas, da domesticidade dos saraus familiares às confraternizações sociais dos bailes, com seu vocabulário próprio  de prevalência de duos ou casais , mas  com um feeling diferenciado e enérgico nas linhas coreográficas de Jomar Mesquita.

Danças, ora cadenciadas em prazerosa e pulsante gestualidade corporal, ora de melancolizada envolvência ou de  sensível espontaneidade como na bela transcrição de um  romantizado Villa Lobos,  na   Valsa da Dor. Sustentada sempre em recatado aporte cênico, com  figurinos(Baby Mesquita) de beleza cotidiana e luzes ambientalistas (Ed Andrade).

Cumprem, aqui, estas figuras dançantes (Andrea Pinheiro/Jomar Mesquita/Juliana Macedo/Lorena Tófani/Murilo Borges/Rodrigo de Castro/Rodrigo Schifini/Sofia Gonzalez) , na sua apurada entrega interpretativa, um lavor técnico/reflexivo. 

Transcendendo, assim, os limites do  tempo verbal deste Pretérito Imperfeito, em significante devir artístico e existencial.


MIMULUS CIA DE DANÇA , apresentou-se no Theatro Municipal RJ, sábado, 10 de setembro, às 20h, com o espetáculo PRETÉRITO IMPERFEITO, seguindo em temporada nacional.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas