Pular para o conteúdo principal

Postagens

Recente

LANTERNAS VERMELHAS : VALOROSO TEATRO COREOGRÁFICO CHINÊS

Há seis décadas o Balé Nacional da China vem se impondo como a mais antiga cia de balé de seu país e a primeira a estabelecer laços coreográficos com as tradições do Teatro, da Música e da Ópera, aliadas ao folclore e à arte nativista. 

Embora tenha no período maoísta priorizado as obras de conteúdo político e propagandista, mesmo assim continuou seu aprendizado das técnicas clássicas do balé russo, graças à proximidade ideológica com o regime soviético. 
Após o epílogo da Revolução Cultural, esta Cia inicializa um gradual processo de abertura ao repertório contemporâneo, mais focado em criadores como G. Balanchine, e num maior intercambio com os grupos e coreógrafos do Ocidente. Ao lado de maior inclusão de clássicos fora da exclusividade antológica russa, não abandonando de vez obras da era Mao como o mitificado O Destacamento Vermelho de Mulheres. 

Onde, através de Lanternas Vermelhas, houve um especial significado na ideia da transposição do filme, de 1991, dez anos depois, em simila…

Últimas postagens

O CENSOR : SOB UM OLHAR ARMADO ALÉM DA IMAGEM

À MARGEM : VISCERAL GESTUALISMO, INCISIVO DISCURSO ANTIDISCRIMINATÓRIO

O ATOR E O LOBO : ESPECULAR DRAMATURGIA ENTRE O EU E O OUTRO

CÁLCULO ILÓGICO : SENSORIAL DRAMATURGIA SOB COMPASSO ALGÉBRICO

NAVALHA NA CARNE : COM LAMINAR RECORTE DRAMATÚRGICO

BALÉ TEATRO GUAÍRA : 50 ANOS DE RESISTÊNCIA NA REINVENÇÃO DE UMA CIA. OFICIAL DE DANÇA

TEMPORADA PAULISTA / O FANTASMA DA ÓPERA : UM GÊNERO À BEIRA DO ABISMO

B-MARCHE – BALÉ DO TMRJ : EM TEMPOS NEBULOSOS, A BUSCA DA REDENÇÃO

RECITAL DA ONÇA : ENTRE RISOS E LIVROS, A FAVOR DA LITERATURA BRASILEIRA