16º PRÊMIO APTR : EM NOITE DE RESGATE DA CRIAÇÃO TEATRAL BRASILEIRA SOB TEMPOS ADVERSOS

Em Nome da Mãe. Com Suzana Nascimento. Quatro Prêmios : Melhor Espetáculo, Direção, Atriz e Música. Foto/Elisa Mendes.




A concorrida e significativa noite da premiação, em caráter nacional, do 16º Prêmio APTR aconteceu na última segunda feira, 6 de junho, no Teatro Claro Net. Diante do enfrentamento de mais um ano (2021) ainda marcado por dúplice pânico, do surto pandêmico mortal à controversa crise de governabilidade, com seu assumido retrocesso no  total descaso à criação cultural brasileira.

Transformando a cerimônia num ato simbólico de reencontro presencial e afetivo da classe artística mas, ao mesmo tempo, trazendo a representatividade de vozes e segmentos sócio culturais, numa manifestação unanime - palco/plateia – de necessário anseio por tempos melhores.

Apostando, outra vez, nos espetáculos apresentados nas plataformas digitais, marcados pela impossibilidade de se ater, por motivos de risco sanitário, à tradicional configuração do teatro presencial. Criando-se um formato híbrido, mas não menos válido e, por vezes, sob resultados surpreendentes com perspectiva por possível vida longa.

E, nesta substituição do encontro vivo palco/plateia, pela conquista de um público virtual em nível nacional, dos centros urbanos ao mais interiorano rincão, possibilitando-se, assim, um inédito circuito de alcance social do espetáculo teatral.

Refletido na ampla diversidade de gêneros e temáticas, provando como, apesar de tudo, houve um surpreendente e concentrado esforço de norte a sul do país, para que não fosse interrompida a criação teatral, ainda que sob uma árdua luta de sobrevivência pela  falta de recursos e na crescente pressão de uma equivocada politica cultural em nível oficial.

Abrindo novas frentes, as categorias de premiação divididas em segmentos dramatúrgicos diferenciais, embora sintonizados com as plataformas digitais, mas cada vez mais próximos da retomada do sistema habitual, ao vivo e a cores, dos prêmios dedicados às artes cênicas.

À frente de um ideário de luta afirmativa da força de nossos autores, atores, diretores, ao lado de mestres em cenografia, figurinos, luzes e música, aliados indispensáveis à construção conceitual e estética dos espaços e espetáculos cênicos. Com homenagens presenciais e mais que merecidas aos atores Antônio Pedro, Emiliano Queiroz, Miriam Mehler e Suely Franco.

Em festivo evento na concepção geral do Presidente da APTR – Eduardo Barata, tendo como apresentadores Eduardo Moscovis e Cris Vianna, promovendo um justo tributo ao centenário de Bibi Ferreira. A partir da análise de mais que uma centena de peças do Brasil inteiro a comissão julgadora, formada por Beatriz Radunsky, Carmen Luz, Daniel Schenker, Lionel Fischer, Macksen Luis, Maria Siman, Tania Brandão e Wagner Corrêa, contou com o apoio valioso dos integrantes do  Colegiado da APTR.

O que acabou se constituindo em visceral ato político de convocação da classe teatral para desafiar o caótico estado de subproduto a que foi relegado o fato cultural por nosso atual (des)governo, entre outras coisas, assumido também com o declarado e famigerado veto a projetos de incentivo como as Leis Aldir Blanc e Paulo Gustavo.

 

                                            Wagner Corrêa de Araújo

 

Beth Coelho em Medéia Por Consuelo de Castro. Premio Atriz Protagonista.



16º PRÊMIO APTR DE TEATRO ANUNCIA OS VENCEDORES DE 2021 


Autor:

Guilherme Gonzalez – Rainha


Direção:

Miwa Yanagizawa – Em Nome Da Mãe


Cenografia:

Analu Prestes – Sonhos Para Vestir


Figurino:

Simone Mina e Carol Bertier – A Gaivota


Iluminação:

Renato Machado – Vozes do Silêncio


Música:

Federico Puppi – Em Nome Da Mãe


Ator em papel Coadjuvante:

Joelson Medeiros – Cuidado Com As Velhinhas Carentes e Solitárias


Atriz em papel Coadjuvante:

Maria Esmeralda Forte – Meu Filho Só Anda Um Pouco Mais Lento


Ator em papel Protagonista:

Filipe Codeço – Aquilo De Que Não Se Pode Falar

Luis Lobianco – Macbeth 2020


Atriz em papel Protagonista:

Bete Coelho – Medeia Por Consuelo De Castro

Suzana Nascimento – Em Nome Da Mãe


Espetáculo:

Em Nome Da Mãe


Jovem Talento – Troféu Manoela Pinto Guimarães:

Elenco – Invencíveis

 

LISTA DE INDICADOS POR MEMBROS DA COMISSÃO DO PRÊMIO

 

Espetáculo Infanto-Juvenil:


A Menina Akili E Seu Tambor Falante, O Musical – Autor: Verônica Bonfim| Direção: Rodrigo França


Categoria Especial:

Ana Beatriz Nogueira – Pelo Projeto “Teatro Sem Bolso”.


Produção:

Pinóquio – Cia Pequod – Teatro De Animação


Elenco da Maré em Invencíveis. Prêmio Jovem Talento - Troféu Manoela Pinto Guimarães.

Um comentário:

Anônimo disse...

Parabéns a Comissão. Ótimo resultado,

Recente

CIA SOLAS DE VENTO : LÚDICA E INVENTIVA INCURSÃO DRAMATÚRGICA PELO UNIVERSO FICCIONAL DE JULES VERNE

Cia Solas de Vento. Viagem ao Centro da Terra. Maio/2022. Foto/Mariana Chama. A temporada com três espetáculos de lavra da paulista Cia So...