EU DE VOCE : SOB O DESAFIO DE TEMPOS ADVERSOS, UM TRIBUTO À CONFIANÇA NO TEATRO


Eu de Você. Direção Luiz Villaça. Com Denise Fraga. Fevereiro 2022. Fotos/Cacá Bernardes

 

“Muitas vezes, estou em cena e me comovo com o próprio evento teatral. Penso naquele pacto oculto entre nós, atores e público, quinhentas, seiscentas pessoas, celulares desligados, o silencio coletivo, as risadas, todos concentrados no mesmo ponto, conectados de verdade, num milagre de presença...”(Denise Fraga).


No ideário do espetáculo Eu de Você, o primeiro monólogo em palcos do Rio na trajetória teatral de Denise Fraga, atriz carioca de nascença e paulista por adoção, há uma busca inventiva de emoções interativas entre a intérprete e o público.

Ainda com as luzes acesas da plateia, a atriz aparece conversando de máscara, numa proximidade intimista, com espectadores das primeiras filas. A espontaneidade é tão informal que chega a confundir parte da plateia, se isto já seria ou não a própria peça. Quebrada apenas quando esta, com um discricionário mas elegante figurino (Simone Mina), sobe ao palco, retira a máscara e sua vocalização vigorosa se torna claramente perceptível. 

E tudo acontece numa sequencial conexão de relatos veristas do cotidiano de vidas comuns cruzando com histórias da própria atriz, sob variações substantivas em primeira ou terceira pessoa, ao lado de apropriados recortes poéticos e ficcionais, de Carlos Drummond e Clarice Lispector a Valter Hugo Mãe. Funcionalmente reunidos num substancial roteiro de realização dúplice a partir de Denise Fraga e do diretor Luiz Villaça, contando ainda com valioso aporte dramatúrgico de Rafael Gomes.

O que, em mágico processo especular, através de um incisivo apelo psicofísico da estelar performance de Denise Fraga, vai se transmutando num encontro de humanidades, ancorado no conceitual reflexivo da representação palco e plateia, atriz e espectador, exponencialmente conduzida pela direção de Luiz Villaça. 

Em caixa cênica nua onde o único elemento material é uma cadeira mas que, aos poucos vai sendo preenchida, nas paredes frontais e laterais, por projeções faciais em proposta cinético/teatral (Simone Mina), com depoimentos reais de pessoas inspiradoras da tessitura dramática, sob ambientais gradações de luzes entre cores e sombras (Wagner Antônio).

Eu de Você. Com Denise Fraga. Direção Luiz Villaça. Fevereiro 2022. Fotos/Cacá Bernardes.

E onde as instantâneas intervenções musicais por um trio instrumental feminino (Ana Rodrigues, Clara Bastos e Priscila Brigante) tem a artesania dos arranjos composicionais de Fernanda Maia. Destacando-se por sua pontuação rítmica de ocasionais acordes percussivos que energizam a corporeidade gestual (Kenia Dias) da atriz, entre atravessamentos agitados no palco seguidos de saltos e volteios atirando-se, por vezes, ao solo.  

Alternados com descidas na plateia para questionamentos diretos da habitual postura cômoda de espectadores, que ela chega a conduzir ao palco inserindo-os no acionamento dramatúrgico. Lembrando, aqui, a força latente e participativa de Denise Fraga como intérprete contumaz das linhas mestras do teatro brechtiano, exemplificada na performance de seu insuperável Galileu Galilei.

Com personificações que sugestionam um sotaque de teatro coreográfico em seu dimensionamento psicológico, sustentado por modulações vocais e pela caracterização da fisicalidade dos personagens, na diversidade das inúmeras situações dramáticas ou cômicas, desde as triviais às mais sarcásticas.

Em retratos de vida, de ansiedade ou de submissão, tristes ou alegres, mas assumidamente assertivos sob um enfoque de sadio bom humor. Desde o empoderamento de uma mulher negra escapando de um relacionamento opressivo com um homem branco, à postura gay afirmativa de uma vitima masculina tendo uma súbita identificação amorosa com o seu assaltante.

Ao lado de lembranças afetivas, da infância ao convívio familiar da própria atriz, sobre a mãe com aptidões de nadadora ou o pai e seus dotes vocais. Sempre enunciadas com reflexões sobre a condição humana, como mulher, como artista e como um ser politico/social engajado por sua visceral confiança no poder do teatro.

Sugestionada emblematicamente neste “Eu de Você”, em oportuno e necessário desafio metafórico às adversidades da atual e controvertida problemática de um país que é de todos nós...

                                            Wagner Corrêa de Araújo


Eu de Você está em cartaz no Teatro I do CCBB/RJ, de quarta a domingo, às 19hs. Com excepcional apresentação na segunda, dia 14, e temporada até 20 de fevereiro
.

Nenhum comentário:

Recente

BALÉ DO TM/RJ-O LAGO DOS CISNES : NO DESAFIO DA DIFÍCIL JORNADA DE VOLTA À TRADIÇÃO CLÁSSICA

O Lago dos Cisnes/Balé do TMRJ. David Motta Soares e Cláudia Mota. Maio/2022. Fotos/Jorge Luis Castro-Revista Dança Brasil. Há mais de um sé...