OS MELHORES E OS PIORES NO BLOG ÓPERA & BALLET

FAUSTO/ THEATRO MUNICIPAL/RJ. TEMPORADA 2019.

Blog independente - www.operaeballet.blogspot.com.br - interligado a uma rede de oito blogs, exclusivamente voltados à divulgação e à opinião crítica, com a participação colaborativa de alguns dos maiores especialistas nestas linguagens artísticas (ópera, dança, música de concerto).
Entre eles Ali Hassan Ayache, o idealizador e responsável por este valoroso veículo virtual dedicado ao registro opinativo de todas as manifestações da ópera, da dança e da música de concerto no País.
A seguir,  as nossas indicações do Melhor e do Pior dos espetáculos de 2019, a partir de críticas de ópera e dança publicadas no blog OPERA & BALLET.

ÓPERA – TEMPORADA CARIOCA

Melhor Direção de Cena 

Na vertente de um olhar  armado na vanguarda o Orphée de Philip Glass, estreando no Brasil, foi o grande momento como proposta investigativa de ópera/teatro sintonizada com a contemporaneidade. Numa concepção avançada de Felipe Hirsch imprimindo investigativa conexão de linguagens e mídias artísticas a partir do clássico filme de Jean Cocteau (Orfeu).

Melhor Cenário e Figurino 

A ópera Fausto com destaque para  o apuro plástico de sua paisagem cenográfica (Renato Theobaldo e Beto Rolnik) a partir de estruturas móveis com referencial estético de vitralismo e arquitetura gótica. Completando-se na discricionária mas funcional elegância indumentária por Sofia de Nunzio.

Melhor  Espetáculo de Ópera 

Ausente do repertório do Municipal carioca há meio século, Fausto retornou como um arrojado folego para tempos de permanente enfrentamento da crise nos seus corpos artísticos oficiais. Em bela produção original do Festival de Ópera de Manaus, edição de 2018, sob artesanal direção concepcional de André Heller-Lopes.

Melhor Orquestra – Melhor Regente

Em Orphée com os característicos riffs e rigorosos arpejos das composições de Philip Glass, nas insistentes repetições das lentas harmonias tonais e episódicas intervenções jazzísticas e sons de carrilhões. E que a convicta regência de Priscila Bonfim diante de complexa paleta musical viabiliza, exemplarmente, diante de uma mais concisa e menos vulnerável Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal.

Revelação Lírica-Masculino, Revelação Lírica-Feminino

Em Fausto, completando uma integralizada performance do elenco protagonista com requintada vocalização e presencial cênico do baixo-barítono Homero Pérez Miranda (Mefistófeles). Marina Considera como Tatiana em Eugene Oneguin pela pungente expressão dos sentimentos amorosos em sua representação cênico/vocal e na exposição de sua bela tessitura de soprano.

Melhor Espetáculo de Ópera – Temporada Paulista – Referência Especial 

Pela renovação do repertório lírico com mais uma das óperas de Leos JanacékO Caso Makropulos, de 1926 - encenada em première no país, depois de Kátya Kabanová, em 2018, sob o ideário estético de André Heller-Lopes, com segura direção musical de Ira Levin. Na unicidade de um elenco, para sustentar uma linhagem vocal de áspero cromatismo, com destacadas performances cênico-vocais  da soprano Eliane Coelho, do tenor Eric Herrero e da mezzo soprano Luiza Francesconi.

O CASO MAKROPULOS / TEMPORADA PAULISTA DE ÓPERA 2019

MELHOR ESPETÁCULO DE DANÇA

Temporada Paulista – SPCD (São Paulo Cia de Dança)

Com a São Paulo Cia de Dança que surpreendeu, mais uma vez, com uma temporada de estreias nacionais e estrangeiras criadas especialmente para a SPCD, sabendo bem como explorar o convívio de posturas clássicas com exigentes pontuações do movimento dimensionado pela dança contemporânea, com integralizado destaque para os quatro programas da temporada.

Temporada de Curitiba – Balé Teatro Guaíra

No cinquentenário do Balé Teatro Guaíra, com a remontagem da portuguesa Olga Roriz para a Sagração da Primavera, com o olhar armado no hoje, fugindo à vitimização do feminino, sensibilizado em delirante gramática cênico/corporal. Para encerrar com O Lago dos Cisnes, de Luiz Fernando Bongiovanni, sob incisivo contexto psicanalítico, privilegiando uma vigorosa pulsão criativa sustentada pelo apuro técnico de uma sólida cia. nacional.

Temporada Carioca – Romola & Nijinsky

Na luminosa particularidade do teatro coreográfico Romola & Nijinsky, experimentação estética para o livre alcance das atitudes criadoras, da linguagem corporal no seu jogo teatral/gestual à precisão de seus recursos histriônicos e dramáticos, através do tríplice descortino inventor de Regina Miranda, Marina Salomon e Antônio Negreiros.

Temporada Internacional – Balé Nacional da China

Balé Nacional da China com o celebrado Lanternas Vermelhas, de trama próxima aos melodramas operísticos, através de elementos cinéticos que remetem, além da ópera, aos recursos mímicos e à representação teatral, pontuado por cenas de teatro dentro do teatro e de uma dança potencializada em grande espetáculo.

Pior Espetáculo de Dança 

Uma equivocada versão (Jorge Teixeira), de pretensiosa intencionalidade histórico/acadêmica, para uma Giselle, com frágil recorrência coreodramática à concepção original de 1841. Com distante referencial dos anos  de brilho do Balé do Theatro Municipal e da tradição de única companhia oficial de destinação clássica do País.

                                          Wagner Corrêa de Araújo

O LAGO DOS CISNES / BALÉ TEATRO GUAÍRA / TEMPORADA 2019

Comentários

Postagens mais visitadas